6 maneiras de apoiar missionários

Texto escrito por Jennifer Su McIntyre, missionária em Taiwan
Traduzido e adaptado pela Mais

 

estrada

(Foto: Freepik)

“No que podemos ajudá-la? Podemos enviar um grupo de curto prazo?”

Como uma missionária em licença, ouvi muito essa pergunta de mantenedores, igreja local e grupos de missões. É de se compreender que alguns apoiadores queiram colocar a mão na massa o máximo possível na tentativa de ajudar os missionários. Enviar uma equipe de curto prazo pode parecer uma opção atraente.

Mesmo com os motivos mais sinceros e as melhores das intenções, missões a curto prazo muitas vezes não têm o resultado esperado. A verdade é que, às vezes, os missionários aceitam receber essas equipes mesmo quando não precisam realmente delas, principalmente se a ideia surge de alguma grande igreja mantenedora. Mais: alguns missionários acabam ficando mais exaustos ao receber essas equipes do que se estivessem sem elas.

Dito isso, missões transculturais seriam impossíveis sem o comprometimento, o suporte constante de pessoas bem informadas e as igrejas locais de onde viemos. Vamos, então, a 6 maneiras alternativas de apoiar missionários e fazer parte da missão de Deus no mundo:

1. Oração

Ore regularmente pelos missionários que você conhece e diga a cada um que você está orando por ele, e por aquele pedido específico que ele falou.

Um missionário falou sobre quando foi dar uma olhada nas estatísticas dos e-mails de oração que ele enviava: descobriu que mais da metade das pessoas na lista não abriam o e-mail, justamente as pessoas com as quais ele contava como “guerreiros de oração”.

Escrever um e-mail para o missionário que você conhece e ora, falando que você tem orado pelos motivos citados por ele, mesmo que seja um e-mail curto, mostra seu comprometimento com esse apoio e suporte. Não importa o quão isolado e distante esse missionário esteja, ele saberá que seu ministério está coberto por orações. Lembre também de avisá-lo se você mudar de telefone ou e-mail.

Se o dia a dia está corrido, é difícil achar um tempo para oração diligente e regular. Organize grupos de oração, e, se fizer isso, veja se é possível convidar o próprio missionário a participar de uma dessas reuniões de oração por Skype. Ele se sentirá encorajado por essas ações.

2. Suporte financeiro regular

É claro que ofertas pontuais são sempre bem-vindas e abençoam – muito! – a vida do missionário. Mesmo assim, considere se tornar um mantenedor. Essa maneira de apoio mostra ao missionário que as pessoas estão comprometidas com seu ministério a longo prazo, como uma vocação a ser exercida sempre. Além disso, ajuda os missionários a planejarem melhor seu orçamento, deixando-os menos preocupados se terão o suficiente para o mês.

O dia a dia do missionário já exige grandes preocupações dele: adaptação cultural e linguística, desenvolver ministérios com poucos recursos, resistência local, perseguição, condições e ambientes extremos. O suporte financeiro regular pode ajudá-lo a ter uma questão a menos para se preocupar.

Além disso, sabemos de muitas pessoas que gostariam de serem enviadas como missionárias a outras cidades ou países, mas que, pelo medo de não conseguirem sustento, acabam não cumprindo sua vocação.

Em Filipenses 4:15-19, Paulo fala sobre o suporte financeiro que ele recebeu:

“Como vocês sabem, filipenses, nos seus primeiros dias no evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja partilhou comigo no que se refere a dar e receber, exceto vocês; pois, estando eu em Tessalônica, vocês me mandaram ajuda, não apenas uma vez, mas duas, quando tive necessidade. Não que eu esteja procurando ofertas, mas o que pode ser creditado na conta de vocês. Recebi tudo, e o que tenho é mais que suficiente. Estou amplamente suprido, agora que recebi de Epafrodito os donativos que vocês enviaram. Elas são uma oferta de aroma suave, um sacrifício aceitável e agradável a Deus.
 O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus.”

Tornando-se mantenedor, você pode ser a resposta que alguém está esperando. Além de ser bênção para a vida desse missionário, isso será bênção também na sua própria vida.

3. Lidando com a saudade

Receber um simples pacote de casa pode ser uma grande ajuda em lidar com a saudade. Pergunte ao missionário sobre o que ele sente falta de casa: desde livros, CDs, DVD de um sermão ou músicas de adoração, até alguma comida, tempero, brinquedos, jogos ou programas de TV. Se enviar algo pelo correio não é viável, mas a internet funciona bem, ofereça algum presente virtual, como crédito para baixar alguma música ou filme, assinatura de revista ou livro eletrônico.

4. Ajude missionários “em licença”

O termo “em licença” (“furlough”) pode confundir, por sugerir que o missionário está de folga por um período (muitas vezes chamado também de “período de descanso”). Por isso, muitas missões utilizam o termo “em missão em casa”, ou “reciclagem”. Não podemos assumir que o tempo de reciclagem ou de licença seja, necessariamente, um tempo de descanso e de não fazer nada. A verdade é que muitos missionários voltam para casa com certa relutância, não por não amarem suas igrejas locais, mas justamente pelas adaptações culturais exigidas quando esse tempo é necessário.

Assim como soldados que voltam para casa e encontram dificuldade em se readaptar, o mesmo acontece com missionários, seja por não se sentirem mais conectados com seus amigos e famílias ou por não serem “compreendidos” (vale ler o texto “Quando um missionário ‘volta para casa’”). Esse retorno à casa pede um cuidado especial.

Você pode oferecer apoio a esse missionário durante esse período de diversas maneiras. Pode ser recebendo-o no próprio aeroporto para dar a ele a sensação de estar em casa, com rostos conhecidos, ou indo além das perguntas clichês e se interessando pela vida dele e ministério longe de casa.

 Pode ser oferecendo ajuda para arrumar a casa ou ajudando a configurar um celular. Você pode emprestar um carro ou móveis de casa. Como esse tempo muitas vezes é usado para visitar igrejas, você pode se oferecer para cuidar dos filhos dele ou doar milhas.

 Se você é psicólogo ou trabalha na área de Saúde, pode oferecer seus serviços como oferta. Se você escreve bem, pode oferecer ajuda com textos. Se é bom com finanças, pode ajudar com orçamento. Enfim, seja como for, você possui dons, talentos e recursos que podem estar à disposição do missionário.

Por fim, você pode ajudar espalhando a notícia da presença desse missionário no seu país e oferecer o que ele precisar nesse período de reciclagem, licença ou cuidado missionário. Acima de tudo, seja amigo dele.

5. Visitas ao campo

Algumas vezes, viagens de missões a curto prazo não ajudam tanto os missionários quanto “viagens de visão”, na qual as pessoas vão ao campo não para fazer algo, mas para descobrirem ou entenderem melhor uma vocação que Deus tem tocado no coração delas. Geralmente, as pessoas que visitam o campo com essa ideia em mente acabam falando e espalhando sua paixão por missões com outras igrejas, além de servirem como porta-vozes de muitos missionários.

Se você tem essa vontade, converse abertamente com o missionário sobre essa possibilidade e tente não impor uma ideia preconcebida do que você acha que ele precisa. Peça para ele dar uma opinião sincera sobre sua ideia e sobre o que seria o melhor para ele. Vá com a disposição de servir e aprender. Missionários que passaram anos aprendendo a cultura local e a como trabalhar com a comunidade vão saber mais do que nós em uma curta viagem.

Mas não desanime: visitas de apoiadores e representantes da igreja podem ser muito bem-vindas. Uma visita que tem como objetivo orar, assistir e aprender pode encorajar e abençoar mais do que você imagina!

6. Missionário “médio prazo”

Pessoas com disposição a se comprometerem por um ou dois anos no campo, geralmente, têm tempo suficiente para aprender a língua local e contribuir para o ministério de uma maneira mais significante do que viagens de curto prazo. Missionários comissionados a médio prazo têm a oportunidade de construir um relacionamento significativo com os locais e apoiar os missionários a longo prazo de uma maneira que os sustente de forma ainda mais duradoura.

Seja para ajudar os pais a cuidarem de um filho com necessidades especiais, no ensino dentro de casa ou para ensinar inglês e outras línguas aos missionários e locais, ou até mesmo com os seus dons e sua profissão, as possibilidades são diversas.

Se você conhece pessoas com a disposição em servirem em médio prazo, ou até mesmo se você é uma dessas pessoas, pergunte aos missionários que você apoia sobre as possibilidades existentes para isso.

 

Pequenas ações, grandes consequências

Lembro de um momento no início do nosso ministério, no qual queríamos que as crianças locais tivessem contato e pudessem brincar com jogos de tabuleiros. Depois de mandarmos um curto e-mail para nossos apoiadores contando sobre a ideia, muitos deles se oferecerem imediatamente para enviar os jogos. Receber em mãos os presentes desses apoiadores nos ajudou a alcançar diversas crianças que, eventualmente, levaram suas famílias a conhecer a Cristo.

“Como vocês conseguiram que esses jogos chegassem aqui?”, perguntou uma mãe enquanto via seu filho brincando. “Eles foram enviados por cristãos ao redor do mundo que acreditam tanto nas Boas Novas que nos enviaram até aqui para compartilhar com vocês”, respondi.

Ela sorriu. “Isso é realmente tocante”.
 Às vezes, pequenas ações de apoio e comprometimento têm um resultado longo e duradouro.

 

 


 

Please log in to vote

You need to log in to vote. If you already had an account, you may log in here

Alternatively, if you do not have an account yet you can create one here.