“Sentir medo é normal, mas fobia demanda tratamento”, explica psiquiatra

Todo mundo tem medo de alguma coisa, não é mesmo? Uns tem de bichos, personagens, outros de situações que nos levam até suar frio. Mas existem diferenças entre medos e fobias, que podem confundir a vítima.
De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, 10% da população mundial convive com alguma fobia, que, segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), é uma psicopatologia e está situada na categoria de Transtornos de Ansiedade. “Normalmente, as pessoas ansiosas têm algum tipo de fobia”, afirma o psiquiatra.

Veja também:
• Síndrome do ninho vazio: como superar a independência dos filhos?
• Temos comportamentos discriminatórios?

O medo, por sua vez, não é considerado uma psicopatologia porque é resposta autônoma do nosso organismo, ativada pelo contato com um estímulo aversivo. Ou seja, o medo é uma resposta natural do corpo humano que possui um valor intrínseco de sobrevivência para o organismo.

Assista: