“Quero terminar a obra que meu esposo começou”, diz cristã cujo marido foi morto por pregar o evangelho

Por Michelle Ferraz
Adaptado de Portas Abertas

Mulher perseguida por ser cristã fala sobre morte do marido, fé e graça

(Foto: Portas Abertas)

Na última sexta-feira (2), cerca de 100 pessoas se reuniram na Igreja Aliança Cristã e Missionária do Aeroporto, em São Paulo, para uma tarde de clamor em prol dos cristãos perseguidos em todo o mundo. Uma cristã norte-coreana, aqui identificada como H.W., que saiu da prisão há cinco anos, compartilhou a dificuldade que os cristãos, principalmente as mulheres, sofrem na Coreia do Norte por defenderem sua fé.

O testemunho de H.W. foi baseado foi baseado no Salmo 119:71, que diz: “Foi bom para mim ter sido castigado, para que aprendesse os teus decretos”. Ela disse que Deus proporcionou a ela graça por meio do sofrimento. “Quero testemunhar dessa graça. Eu sou da terceira geração cristã a começar pela minha vó. Quando eu tinha seis anos de idade, eu via minha mãe segurando um colar com uma cruz. Então, ela me repreendeu dizendo para eu não contar para ninguém o que eu havia visto”, lembrou. “Minha mãe balbuciava palavras enquanto trabalhava, como se estivesse falando sozinha, e isso se repetia todos os dias. Depois de um certo tempo, eu comecei a entender que aquele balbuciar na cozinha, todos os dias, era, na verdade, uma oração”.

O marido da norte-coreana também cresceu em meio à proibição de falar sobre Jesus, mas fugiu para a China, onde se tornou um líder de louvor. Ele foi descoberto e preso. H.W. conta que, quando teve a oportunidade de vê-lo após a prisão, não conseguia reconhecê-lo, de tão machucado que ele estava. Ela lembra que, ainda assim, mesmo em meio a esse cenário, ele dizia: “Eu posso morrer aqui, mas eu sei para onde vou”. Aquele foi o último contato entre eles. O marido de H.W. acabou morrendo.

A norte-coreana afirma ter vivido muitos milagres desde então, como o próprio fato de ter conseguido fugir de um campo de trabalhos forçados. “Deus realizou tantos milagres na minha vida que agora quero ser a trombeta do Senhor e terminar a obra que meu esposo começou. Onde eu pôr a planta dos meus pés, que se finque a bandeira de Cristo”, declarou. H.W. finalizou a reunião cantando o hino “Porque Ele vive”, que ela entoava durante o tempo em que esteve presa.


1 Comentário

  1. Ana Cláudia Arruda

    Que o senhor continue te usando com muita sabedoria, e como falaste: a onde VC for que a bandeira do Senhor seja proclamada no nome Dele.

 

Please log in to vote

You need to log in to vote. If you already had an account, you may log in here

Alternatively, if you do not have an account yet you can create one here.