Presidente interino da Câmara decide anular processo de impeachment

 

Dilma Rousseff

(Foto: PhotoPin)
Dilma Rousseff via photopin (license)

O presidente interino da Câmara, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu acatar o pedido do advogado-Geral da União, José Eduardo Cardoso, para anular as sessões dos dias 15, 16 e 17 de abril da Câmara, correspondentes aos dias de votação sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A decisão de Maranhão provoca a anulação do atual processo de impeachment, que seria votado na quarta-feira (11), no Senado Federal. Agora o processo será votado novamente pelos deputados federais daqui a 5 sessões.

“Não poderiam os senhores parlamentares antes da conclusão da votação terem anunciado publicamente seus votos, na medida em que isso caracteriza prejulgamento e clara ofensa ao amplo direito de defesa que está consagrado na Constituição”, declarou em nota o interino Waldir Maranhão, que é investigado nas Operações Lava Jato e Miqueias, da Polícia Federal.

Waldir Maranhão substituiu o então presidente da Câmara Eduardo Cunha, afastado pelo Superior Tribunal Federal última quinta-feira (5).

Confira a nota na íntegra do presidente interino da Câmara dos Deputados Waldir Maranhão:

 

Nota Maranhão Nota Maranhão


 

Please log in to vote

You need to log in to vote. If you already had an account, you may log in here

Alternatively, if you do not have an account yet you can create one here.