Australianos no corredor da morte na Indonésia entram com recurso em suprema corte

Reuters

Bandeira da IndonésiaOs advogados de dois australianos condenados à morte por tráfico de drogas na Indonésia entraram com uma contestação legal de última hora na mais alta corte do país nesta quinta-feira (9), na esperança de que o presidente indonésio seja forçado a reconsiderar sua decisão de negar clemência.

Dias antes, um tribunal administrativo rejeitou um recurso apresentado por Andrew Chan e Myuran Sukumaran, que estão prestes a serem executados por um pelotão de fuzilamento.

A advogada que entrou com o pedido de reavaliação disse que as revisões constitucionais não se destinam diretamente a impedir a execução dos dois, mas que sua equipe espera que o governo aguarde até que o tribunal dê seu veredicto. O último recurso legal pode levar vários meses para chegar a um resultado, acrescentou ela.

A ação questiona a lei que rege o processo que o presidente adota antes de conceder clemência e uma lei específica que nega a estrangeiros o direito de revisões judiciais.

O presidente indonésio Joko Widodo negou clemência aos presos, que estão entre 10 condenados por tráfico de drogas que devem ser executados na ilha-prisão de Nusakambangan. Os outros são cidadãos da França, Brasil, Filipinas, Gana, Nigéria e Indonésia.

O Tribunal Constitucional deve decidir dentro de duas semanas se irá ou não ouvir o caso.

No início desta semana, o procurador-geral da Indonésia, H. M. Prasetyo, disse que a dupla tinha esgotado suas opções legais e que o Tribunal Constitucional.

Em janeiro, a Indonésia já executou um brasileiro por tráfico de drogas, num incidente que provocou tensão diplomática entre os dois países.


1 Comentário

  1. Sou totalmente contra a pena de morte, por qualquer crime que sêja. Sou cristã e só Deus tem o poder de dar ou de tirar a vida de alguém. Sabemos que a justiça humana pode falhar; mas a de Deus é infalível. Nada passa despercebido aos olhos do Senhor… Ele é o Juiz de tudo… A sua justiça virá e não tardará: sobre toda humanidade e sobre as nações.

 

Please log in to vote

You need to log in to vote. If you already had an account, you may log in here

Alternatively, if you do not have an account yet you can create one here.