A história de uma mulher que tinha medo de tocar na Bíblia: “Hoje eu estou pronta para morrer pelo Evangelho”

Abner Faustino

Com informações da Missão Portas Abertas

A história de uma mulher que tinha medo de tocar na Bíblia: "Hoje eu estou pronta para morrer pelo Evangelho"

Foto ilustrativa: Pixabay

Número 1 do ranking da Perseguição Religiosa Mundial, a Coreia do Norte é o país que mais reprime os cristãos em todo mundo. Uma prova disso é a história da jovem norte-coreana Kim Sang-Hwa*. “Quando eu tinha 12 anos, acidentalmente encontrei uma Bíblia que meus pais haviam escondido no armário. Não sei por que, mas comecei a sentir o livro dentro do gabinete com a mão, puxei um livro e comecei a ler”.

Em entrevista à Missão Portas Abertas, Kim Sang-Hwa contou sua história. “Eu venho de uma família cristã, embora por um longo tempo eu nem soubesse que meus pais eram crentes”, disse. “Lembro-me de acordar uma noite quando eu tinha seis anos. Nossa casa era muito pequena, então todos dormíamos no mesmo quarto. Quando abri meus olhos, vi meu pai e minha mãe sob o cobertor e eu podia ouvir o som suave do rádio. Mais tarde, eu aprendi que estavam ouvindo uma transmissão de uma estação de rádio cristã”, contou a cristã.

Ao encontrar a Bíblia, Kim Sang-Hwa teve receio do que poderia acontecer. “Eu estava com medo de tocar a Bíblia, mas não podia simplesmente deixá-la lá. Fechei os olhos, peguei o livro e coloquei de volta. Eu pesava minhas opções. Devo dizer ao meu professor? Devo visitar o oficial de segurança local? Por 15 dias, não pude pensar em mais nada”, lembrou. “Eu sabia que era meu dever denunciar esse livro ilegal. Mas era minha família envolvida. E eu também tive todas essas perguntas: “Quem é esse Deus? Ou o quê?'”, revelou a jovem.

Kim Sang-Hwa perguntou aos seus pais sobre o livro. O pai da jovem respondeu citando a criação em Gênesis. “Ele me perguntou: ‘Você vê essas árvores? Quem fez isso?'”. Eu disse que não sabia e ele me explicou a história da criação, incluindo como Deus havia feito Adão e Eva”, lembrou. “Minha mãe me ensinou a memorizar os versículos da Bíblia. Meu avô me mostrou como orar. ‘É falar com Deus. Nada mais nada menos’. Ele falou muito sobre a segunda vinda de Jesus. Ele realmente ansiava por isso. Para mim, todas essas histórias e ideias eram tão interessantes”, contou.

Kim sabia que o que estava fazendo era perigoso, mas aceitou o desafio de contar a familiares e amigos sobre Jesus e o Evangelho, tudo secretamente.

A jovem e seus pais continuaram a missão de levar o amor de Deus para coreanos em um local secreto. “Muitos filhos de crentes também vieram a esse local e aprenderam sobre a Bíblia. Nós oramos juntos. Entre as pessoas que visitaram as reuniões secretas, também havia alguns não crentes, até mesmo espiões”, revelou.

“Quando um desses visitantes estava morrendo, meu pai foi vê-lo em seu leito de morte. Ele confessou: ‘Eu sei tudo sobre você, sua família e sua fé. Eu era um espião e pedi para assistir você'”.

“E?”, perguntou meu pai.

“Você é um bom homem. Nunca disse a ninguém que você era cristão. Diga-me como eu posso me tornar também cristão”.

Por causa da opressão do sistema ditatorial e perseguidor, Kim Sang-Hwa e seu marido decidiram abandonar a Coreia do Norte e viver na China. O filho do casal ficou com os pais de Kim na Coreia do Norte. “Não foi difícil encontrar abrigo e trabalho na China, já que era época agrícola. Mas a vida era difícil. Nós sofremos muito. Esse primeiro ano na China foi provavelmente o mais difícil”, lembrou.

“Em algum momento, os cristãos chineses cuidaram de nós. Meu marido também deu sua vida a Jesus e, depois de um ano, conseguimos pagar um corretor para buscar nosso filho”, disse.

Hoje, Kim Sang-Hwa vive na Coreia do Sul, mas ela deseja retornar ao país de origem. “Há muito mais liberdade aqui no Sul, mas eu gostaria de poder voltar para a Coreia do Norte, compartilhar o Evangelho com as pessoas de lá e ter comunhão com os crentes locais. Adoro a fé deles”, contou. “Hoje eu estou pronta para morrer pelo Evangelho”.

* nome alterado por motivos de segurança.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Please log in to vote

You need to log in to vote. If you already had an account, you may log in here

Alternatively, if you do not have an account yet you can create one here.