Risco de infarto aumenta em temperaturas muito baixas

Estudos realizados nos últimos anos observaram que, dependendo da temperatura a que um corpo está exposto – especialmente as temperaturas abaixo dos 14ºc -, as chances de infarto e de infarto seguido de morte aumentam. É o que explica a cardiologista Kênia Tavares Orsini.

A especialista diz que uma das hipóteses para o fenômeno é que o frio é encarado pelo organismo como uma ameaça ao equilíbrio do corpo. Diante dessa “ameaça”, algumas substâncias, como adrenalina e noradrenalina, são liberadas, o que faz com que os vasos se contraiam, elevando a pressão arterial e aumentando o risco de arritmias cardíacas.

Entenda: