Bate-Papo

Vídeos

“Toda música secular é profana? Posso escutar?”

“Toda música secular é profana? Será que posso escutá-la? É pecado?”. Apesar de não haver nenhum versículo bíblico que aprove ou condene canções seculares, o assunto movimenta discussões e gera questionamentos nas igrejas..

“A música secular é aquela que não é evangélica. É aquela que se difere da música gospel que é cantada nas igrejas. Não tem louvor ou adoração, mas não mancha o nome de Cristo. A música profana nos remete a situações de apologia ao tráfico de drogas, ao sexo… A maioria delas são muito sensuais e expõem, principalmente, o sexo feminino. Têm danças sensuais e provocativas… Músicas com palavrões”, avalia o pastor Wellington Fernandes.

Fernandes diz que a música está presente dentro de nossas casas há muitos anos e fica difícil retirá-la de uma hora para a outra. Para o pastor, a música embala sonhos, casamentos, formaturas, momentos e possui diferentes significados para diferentes pessoas.

Para o jornalista Rodrigo Taniguchi, a atribuição de uma música secular como profana depende do julgamento que a pessoa tem sobre ela. “Se você pegar as músicas instrumentais, as músicas clássicas, elas são seculares e muitas delas falam e exaltam coisas interessantes. A gente precisa tomar cuidado com esse prejulgamento”, argumenta o jornalista.

Taniguchi avalia que, na maioria das vezes, o problema não está na melodia, mas na letra da canção. “No início, Lutero trabalhou muito essa questão de pegar canções que tocavam na época dele colocando letras com conteúdos que atingissem o público que ele queria, as pessoas de baixa renda. Ele pegou canções que tocavam no tabernáculo e colocou uma letra inspirada. A melodia em si não é o problema, mas a letra sim”, diz.

Confira:

Comentários fechados.