É hora de… murmurar?

Tudo, o tempo todo, está ruim.

• 6h: “Que saco! Tão cedo e eu sou obrigado a me levantar para ir para o trabalho!”

• 7h: “Droga de trânsito! Pra variar, tudo parado!”

• 8h: “Enfim, cheguei ao trabalho. Lá vou eu começar mais um dia chato. Daqui a pouco aquele insuportável do meu chefe aparece pra encher minha paciência!”

• 12h30: “Hora de almoçar aquela comidinha horrível que eu trouxe na marmita…”

• 13h30: “Como eu gostaria de dormir depois do almoço. Mas, infelizmente, preciso voltar para o meu trabalho chato…”

• 15:00: “Nossa, estou realmente cansado… Fico aqui me matando pela empresa e ninguém reconhece meu trabalho. Que vontade de largar tudo!”

• 17h: “Será que meu chefe não vê que está cobrando muito de mim? Que folgado! Queria ver se ele daria conta de fazer tudo o que faço!”

• 18h: “Finalmente, vou pra casa! O único problema é ter que aguentar esse trânsito infernal. Haja paciência!”

• 20h: “Enfim, em casa! Hora de tomar um banho e relaxar… Pena que o chuveiro não esquenta direito… Com esse frio, ninguém merece!”

• 21h: “Como assim, não tem comida pronta? Eu chego cansado e ninguém deixou nada preparado para eu comer? Que droga!”

• 22h: “Ah… Nada como minha cama. Preciso dormir! Mas acho que eu estou me esquecendo de alguma coisa… Nossa! Ainda preciso orar! Vamos lá: ‘Deus, muito obrigado pelo dia maravilhoso que o Senhor me permitiu viver’…”

[qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência]

“E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor”.
(1 Coríntios 10:10)

Convidados do BATE-PAPO conversam sobre o assunto.

Assista: