Balaio

Vídeos

Almanaque: ilustrador aponta o que há por trás de Crepúsculo

O ilustrador Igor Cicarini analisou, à luz da Bíblia, a série Crepúsculo, que conta a história de uma adolescente que se apaixona por um vampiro.

Confira:

17 Comentários

  • 10.08.14
    Flávio

    Não concordando com isso, pois também não gosto da série. Mas achei os argumentos um tanto fracos.

    Paz

  • 10.08.14
    Eliana Aparecida Pires

    Pra mim, é mais uma artimanha do maligno, para desviar os jovens do foco que é Cristo, e é simples…FUGI DA APARENCIA DO MAL!

  • 10.08.14
    Fábio Ferreira da Cruz

    Não consegui ver

  • 10.08.14
    Thaty

    Show de bola, valeu pela explicação. Muito bom, amo assistir filmes.

  • 10.08.14
    Francielli

    Antes mesmo de conhecer essa “saga”, quando falaram sobre a o enredo dos livros já tirei conclusões sobre o que estava por atrás. Graças a Deus alguém que tem o mesmo pensamento!

  • 10.08.14

    O apelido mórmons foi criado por pessoas que não pertenciam à Igreja para se referirem aos membros (a princípio) de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias restaurada em 6 de Abril de 1830.

  • 10.08.14

    Meyer é membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

  • 10.08.14
    ERICA MICHELE

    GOSTARIA QUE VCS FALA-SE SOBRE A SERIE THE WALKING DEAD A SERIE DE ZUMBI QUE ESTA FAZENDO A CABEÇA DE MUITA GENTE.

  • 10.08.14
    Ana Claudia

    Olá, tenho uma filha adolescente que gosta dessa série, como de Jogos Vorazes e Fallen.
    Gostaria de entender melhor o que realmente está por trás destas séries.
    grata.

  • 10.08.14
    Natalice Vieira dos Santos

    Olá! Gostei muito do site J5manga, é um site muito criativo e interessante,alem de esclarecer muitas duvidas sobre filmes, jogos e entretenimento que crianças, adolescentes, jovens gostam de assistir. Bom, gostaria de saber o que tem por de trás dessas bonecas n8vas que surgiram agora, as bonecas Moster High. Ja nao me simpatizei com elas de cara, ta na cara que sao bonecas amaldiçoadas. O que vcs tem a dizer para os pais sobre essas bonecas que ja estao fazendo a cabeça da criançada? Obrigada.

  • 10.08.14

    Muito bom esse quadro do Balaio. Tremendo, eu era muito fã desses filmes, mas graças a Deus por abir minha mente.

  • 10.08.14
    Laura

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • 10.09.14
    Jackelyne Novich de Almeida

    Faz um almanaque sobre ” The Vampaire Diares” é um dos seriados mais assistidos da internet junto com “The Walking Dead” e ” Game Of Thones” Bjus a paz

  • 10.09.14
    Cesar Oliveira

    Brother.

    Excelente matéria! Parabéns! Mas se tivesse um soundtrack ao fundo ficaria melhor. Só a voz fica um pouco chato.

    No mais, é legal saber a origem das coisas… Só penso que pode ser perigoso dizer que, quem não é inspirado pelo Espírito Santo, será inspirado por demônios… Onde fica a criatividade humana? Não existe? Tudo é Deus ou diabo? Não seria esse um pensamento baseado numa fé infantilizada onde a responsabilidade humana é transferida para o “Mundo Espiritual”?

    Outro fato: é claro que a autora usou das histórias originais (de terror) e adaptou para as características mais buscadas hoje em dia. Agora: ou ela fez um excelente trabalho de marketing, escrevendo para o público certo; ou é uma espiã do demônio para tornar amáveis as obras do diabo…

    Falando em “humanizar” criaturas fantásticas/demoníacas, temos ainda: “entrevista com o vampiro”, “Blade”, “Hellboy”, etc…

    Falando sobre a qualidade literária: é péssima! Clichê! Mas, como profissional da área editorial, afirmo: Pura estratégia de marketing! Do mesmo modo que Harry Potter.

    No mais, obras cristãs do gênero, como: Este Mundo Tenebroso I e II (uma pena que não tenha o III), O Agente, O Pacto, O Profeta, etc… também cometem os mesmos erros, pois humanizam os seres celestiais, tratam tudo na base da pancada e deixam um ar muito épico no trato do mundo espiritual. E, mesmo assim, são fantásticas! Incríveis! Empolgantes! Adoráveis!

    Imagine só, se um escritor cristão, trabalhasse numa série de livros de ação e aventura nos moldes dos seus comentários… Seria um crente legal, jovem, descolado, mas que ficaria o dia todo orando, lendo a Bíblia e expulsando o diabo de tudo o que visse pela frente. Além de ser um moralista que ficaria criticando todos os que assistissem desenhos Disney e ouvem músicas que não são “sagradas”, ou que pensam diferente dele…(Aliás, uma marca do povo de Deus é a intolerância absurda entre os pensamentos divergentes (principalmente, entre os próprios cristãos)).

    E isso, também, não seria um clichê? (dos piores, inclusive)

    Agora, estamos muito mal em alternativas cristãs. O filme “Deus não está morto” é um clichê absurdo! Os ateus que eu conheço riram do filme, e com razão. O roteiro é tendencioso e as pegadinhas que o jovem lança sobre o seu professor são, absolutamente, previsíveis e pueris.

    No final, também não muda a vida de ninguém! Nem “Deus não está morto”, nem “Crepúsculo”.

    “Examinai tudo, retenha o que é bom!”

    Uma sugestão: Se for “imparcial” como foi nessa análise de “Crepúsculo”, deve analisar “O Senhor dos Anéis”, escrito por nosso irmão Tolkien e, “As Crônicas de Nárnia”, de nosso, também, irmão, CS Lewis, e encontrará muitos pontos parecidos com qualquer obra literária de fantasia e ficção.

    Às vezes, colocamos Deus “onde Ele não está”. Muito pior, colocamos o diabo onde, na verdade, mais deveria ser, a responsabilidade e criatividade humana.

    Infelizmente, somos feitos assim, criativos. E a culpa é de Deus, que nos fez à Sua imagem.

    Muita paz,

    César Oliveira.

  • 10.10.14
    Tulio

    Quer dizer que a lenda dos vampiros é inspirada no Conde Drácula, o empalador, ou seja, apenas uma romantização de um personagem histórico.
    Então, de repente, como os vampiros temem símbolos sagrados eles passam a ser uma realidade, parte dos planos de Lúcifer, que a autora, como membro de uma igreja que não acredita em Jesus (acreditam em Deus, mas não em Jesus), está tentando dar uma roupagem bonitinha para atrair os tolos adolescentes para o lado do demônio.
    Nunca ouvi tanta ignorância, intolerância e porcarias saindo da boca de um ser humano.
    Tá sem nada para fazer? Vai capinar uma horta!!

  • 10.10.14

    sou evangelica e gosto muito de crepusculo pra mim assiste nao e pecado,pecado e vc pegar as coisas do filme e aplicar na sua vida

  • 10.10.14

    Concordo com vc mano,não devemos culpar o diabo por tudo de errado que fazemos ou vemos ,nos seres humanos somos super criativos e eu gosto muito da saga crepusculo e varios outros…..