“Se as igrejas se unissem, o Brasil passaria por uma profunda transformação”, diz presidente de ONG

Em 2006, dezenas de pessoas foram assassinadas no Rio de Janeiro. Para romper com a indiferença da população, foi criada a ONG Rio de Paz, em janeiro de 2007, que desenvolve ações criativas, simbólicas, interativas e reflexivas para visitantes e moradores da capital fluminense. Em pouco tempo, a organização se tornou bastante conhecida. Na primeira grande ação da ONG, centenas de cruzes foram espalhadas pelas areias de Copacabana, em resposta às várias mortes registradas no Rio.

O fundador e presidente da iniciativa, o pastor Antônio Carlos Costa, falou ao AMPLIFICADOR sobre as atividades realizadas pela ONG e da relação das igrejas com os mais necessitados. “São milhões de cristãos evangélicos espalhados por todo território nacional. Se essa gente decidisse agir junto em torno de uma causa qualquer, não tenho a mínima dúvida que a história do Brasil passaria por uma profunda transformação”, acredita.

Antônio Carlos Costa também falou sobre seu livro “Convulsão protestante: quando a Teologia foge do templo e abraça a rua”. O livro aborda as experiências que o pastor teve com os movimentos sociais.

Assista à entrevista: